A China quer ajudar a industrializar Angola, tornando a economia do país africano menos dependente do petróleo, disse na terça-feira o Embaixador chinês em Luanda, Gong Tao.

De acordo com a Xinhua, o diplomata explicou que a China quer promover a construção de fábricas de montagem de viaturas, navios pesqueiros e postos de reciclagem em Angola, para apoiar a indústria e o mercado de emprego locais.

Segundo a agência noticiosa estatal chinesa, o Embaixador afirmou num encontro com jornalistas que há empresas chinesas a estudar as oportunidades de negócio em Angola, nomeadamente no âmbito da anunciada privatização de 195 empresas e activos públicos.

Gong Tao defendeu ainda que as medidas anti-corrupção tomadas pelo Governo angolano já estão a dar “resultados para o investimento chinês” em Angola, referiu a agência noticiosa portuguesa Lusa.