Formação e Recursos Humanos
 

Desde a criação do Centro de Formação do Fórum de Macau, em 2011, até o final de 2016, com o apoio do Governo da RAEM e a colaboração do Ministério do Comércio da China, das instituições de ensino superior e das associações de Macau, foram realizados 31 colóquios, contando com a participação de 783 funcionários públicos e técnicos provenientes dos Países de Língua Portuguesa (Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e Timor-Leste), da China e da RAEM.

As áreas de formação incluem: gestão de hotelaria e turismo, gestão de saneamento e saúde pública, modernização dos serviços públicos, empreendedorismo e desenvolvimento de negócios, controlo de qualidade e certificação de produtos, topografia, convenções e exposições, Direito comercial e internacional, ensino das línguas chinesa e portuguesa, capacitação das pequenas e médias empresas, gestão e desenvolvimento das zonas económicas especiais, desenvolvimento da medicina tradicional chinesa, protecção ambiental, gestão de empresas comerciais, serviços de alfândega, iniciativas comunitárias e cooperativas, administração pública, políticas tributárias e fiscais, infra-estrutura de transporte e comunicação, entre outras temáticas.

Neste contexto, foram organizadas visitas em províncias e cidades do Interior da China proporcionando aos formandos a possibilidade de observar o desenvolvimento local e de conhecer o sector empresarial local. Estas acções de formação contaram com a participação de Instituições de Ensino Superior de Macau, na qualidade de entidades colaboradoras, o que permitiu evidenciar as vantagens próprias de Macau na vertente educacional e de formação e proporcionou ainda condições favoráveis para a criação de um ambiente e uma atmosfera propícias para a aprendizagem local da língua portuguesa assim como um melhor conhecimento dos Países de Língua Portuguesa.

Através do intercâmbio e partilha de experiências com os profissionais de diversas áreas dos Países de Língua Portuguesa, é elevado para outro patamar o nível de conhecimento da língua portuguesa na população estudantil local e é criado um quadro favorável ao conhecimento profissional multifacetado. Os Países de Língua Portuguesa atribuem elevada importância e prezam às vantagens de Macau enquanto plataforma de educação.

Até ao final de 2016, contabilizou-se a participação de 23 grupos compostos por autoridades e profissionais totalizando 150 pessoas dos Países de Língua Portuguesa que estiveram em Macau para estagiar em diferentes áreas como a gestão de aeroporto, a teledifusão, o turismo e entretenimento, entre outros. Através destas acções de formação é desenvolvida a cooperação em educação e formação de recursos humanos do Fórum de Macau no âmbito da plataforma de serviço para a cooperação comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa.