Países Participantes
Guiné Equatorial
Guiné Equatorial

Equatorial-300x200.jpg

Nome Oficial: República da Guiné Equatorial

Área (km2): 28.051

População (milhões): 1,523 (estimativa 2023)

Capital: Malabo

Línguas oficiais: Português, Espanhol e Francês

Chefe de Estado: Teodoro Obiang Nguema Mbasogo

Ministro das Finanças, Economia e Planeamento: Valentin Ela Maye Mba

Moeda: Franco (CFA)

Taxa de Câmbio: CNY1 = 85.23 CFA、USD1 = 621.64CFA (Outubro, 2023)

Hora local: GMT+1

01.jpg


02.jpg


A República da Guiné Equatorial situa-se na Região Centro-Africana no Golfo da Guiné, tem uma extensão territorial de 28.051 quilómetros quadrados, com cerca de 1.241.000 habitantes (2022), faz fronteira com os Camarões a Norte, Gabão a Sudeste e a Oeste com Oceano Atlântico, sua capital é Malabo e está localizada na parte insular (ILHA DE BIOKO), a capital económica é a cidade de Bata, localizada na parte continental (Rio Muni), sendo esta a mais vasta que contém a maior reserva florestal no território nacional; o País está dividido em 8 províncias e 5 ilhas, 3 habitadas e 2 não habitadas;


A Guiné Equatorial é rica em Petróleo e Gás, possui também outros recursos minerais pouco explorados, como: Ouro, Diamante, Bauxita, Metais Básicos e Ferro; o país produz anualmente cerca de 45.360 milhões de barris de petróleo, o que o coloca em 3.º lugar entre os países produtores de petróleo da África subsaariana, possui as principais indústrias petrolíferas como: EXXON MOBIL, NOBLE ENERGY, MARATHON OIL, TRIDENT ENERGY, EG-LNG, e outras empresas que o país está aberto a acolher quando demonstrem interesse em investir nesse sector.


A economia da Guiné Equatorial assenta na produção de Petróleo e Gás, na produção de Cacau, Café e Madeira, a Pesca Artesanal, na Agricultura de subsistência, e na produção de produtos manufaturados como é a artesanato e outros.


As relações diplomáticas e de amizade com a República Popular da China, foram estabelecidas desde 1970, 2 anos após a adesão do País à sua soberania em 1968, que conheceram ao longo desses anos uma ampla cooperação de benefício mútuo, com diversas trocas comerciais, visitas oficiais , formação de recursos humanos, ajuda humanitária e donativos de ambas as partes, e fruto dessa excelente e vantajosa cooperação e fortalecida através do mecanismo do Foro China -Africa (FOCAC), está hoje a ser construído no Distrito de Niefang, na Região Continental do País, um Hospital denominado; Hospital da Amizade Guineo-Chinesa, República da Guiné Equatorial, o estabelecimento do Instituto Confúcio, para a aprendizagem do Mandarim;


Guiné Equatorial, exporta para a China: Petróleo, Gás e Madeira Grossa, enquanto importa da China: Tijolos Cerâmicos, Material de Construção Plástico, Ar Condicionado, Calçados de Borracha, Eletrodomésticos e Móveis Diversos para o interior.