Notícias do Fórum de Macau

Conclusão do Seminário sobre Ensino e Formação de Bilingues entre a China e os Países de Língua Portuguesa

O Seminário sobre Ensino e Formação de Bilingues entre a China e os Países de Língua Portuguesa encerrou os seus trabalhos após dois dias de reunião numa iniciativa do Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) e do Instituto Politécnico de Macau e que contou ainda com o Gabinete de Apoio ao Ensino Superior na qualidade de entidade de apoio.

O Seminário foi uma iniciativa que procurou conjugar três partes: a formação de bilingues, as necessidades do mercado e o papel de Macau, reunindo, nesta Região, docentes, linguistas e empresários que debateram novos modelos de formação de profissionais bilingues.

As intervenções dos participantes da China, Macau, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e Timor-Leste, do Secretário-Geral do Fórum para a Cooperação económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa e do Presidente do Instituto Politécnico atestaram da necessidade de prosseguir com iniciativas semelhantes e sublinharam que o mundo da economia e do comércio é um recipiente natural destes bilingues qualificados em língua chinesa e portuguesa.

A Secretária-Geral Adjunta do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa sublinhou que o bilinguismo é um ponto essencial da plataforma de Macau e um instrumento imprescindível nos trabalhos do Fórum de Macau. O Fórum de Macau tem, por isso, incentivado empenhadamente o desenvolvimento do ensino bilingue e a formação de bilingues para corresponder às necessidades reais do mercado de trabalho.

Com a realização deste seminário, o Fórum de Macau procurou disponibilizar uma plataforma de intercâmbio entre o sector académico e o sector empresarial com a sua vantagem natural de ambiente bilingue e ainda consolidar o papel de plataforma de serviços para a cooperação económica e comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa promovendo simultaneamente o desenvolvimento de “Um Centro, Uma Plataforma”.

Das conclusões dos trabalhos, ficaram principalmente atestadas duas constatações: em primeiro lugar, que o ensino do chinês nos Países de Língua Portuguesa e do português na China está numa fase inédita de crescimento e em segundo lugar, que este ensino deve ser desenvolvido no sentido de formar quadros qualificados e mais competitivos, aproveitando o enquadramento providenciado pela plataforma de Macau, utilizando as suas vantagens comparativas nestas duas línguas que são cada vez mais procuradas no mercado de trabalho das relações económicas e comerciais.

Anexo: Balanço do Seminário sobre Ensino e Formação de Bilingues entre a China e os Países de Língua Portuguesa