Notícias

Instituto brasileiro retoma produção de vacina contra COVID-19 após receber ingredientes activos vindos da China

O Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) retomou na terça-feira a produção de uma vacina contra a COVID-19, graças à chegada de um lote de ingredientes activos vindos da China.

O lote, que chegou ao Brasil no sábado, vai permitir ao Fiocruz produzir cerca de 12 milhões de doses da vacina co-desenvolvida pelo laboratório sueco-inglês AstraZeneca e a Universidade de Oxford, avançou a Agência Brasil.

Segundo a agência noticiosa estatal brasileira, o Instituto garante assim a produção ininterrupta de vacinas até à terceira semana de Junho e o cumprimento do calendário de entrega de doses da vacina, segundo o contratualizado com o Programa Nacional de Imunizações do Brasil, até 3 de Julho.

O Fiocruz prevê receber até Julho os últimos quatro lotes de uma encomenda de 14 lotes de ingredientes activos produzidos pelo laboratório chinês WuXi Biologics. No total, os 14 lotes vão permitir ao centro produzir 100,4 milhões de doses da vacina contra a COVID-19.