Notícias

Cheias em Moçambique podem afectar crescimento económico: Moody’s

A época das chuvas e as inundações na zona norte e centro de Moçambique vão afectar negativamente o Produto Interno Bruto (PIB) do país este ano, afirmou terça-feira a agência de notação de risco Moody’s.

“A contínua precipitação causou danos severos nas infra-estruturas junto aos rios Zambezi e Licungo, especialmente na província da Zambézia, habitada por cerca de 20 por cento da população do país”, afirmou a Moody’s.

A agência de notação de risco disse ainda que os danos vão também aumentar a pressão sobre o Governo de Moçambique, exacerbando a trajectória ascendente da dívida do país dos últimos anos.

“Os níveis de dívida do Estado vão continuar a aumentar: desde 2011, a dívida pública tem crescido de forma continuada e este ano vai, provavelmente, ultrapassar a previsão de 58,3 por cento do PIB, como consequência de um défice orçamental mais elevado e de um menor crescimento do PIB”, salientou a Moody’s.

As inundações no início deste ano causaram a morte a pelo menos 170 pessoas e afectaram mais de 160,000 moçambicanos. Os danos às infra-estruturas rodoviárias, incluindo pontes, cortaram o acesso por terra a cerca de 70 por cento da província da Zambézia.

A agência de notação financeira assinala ainda que as tempestades devem continuar até ao final da estação das chuvas em Março, alertando que isso terá impacto no investimento na indústria extractiva e no sector agrícola moçambicano, que contribui para cerca de 30 por cento do PIB do país.