Notícias

Empresas chinesas tentam mitigar escassez de água no sudoeste de Angola

Duas empresas chinesas venceram contratos para recuperar e desassorear 27 pequenas barragens e represas na província de Namibe, no sudoeste de Angola, revelou na segunda-feira a Lusa.

De acordo com a agência noticiosa portuguesa, os contratos atribuídos na semana passada pretendem aumentar a capacidade de armazenamento de água para mitigar a escassez de água, principalmente em longos períodos de seca.

Segundo um despacho citado pela Lusa, o Governo de Angola vai investir 24 mil milhões de kwanzas (US$40,12 milhões) nas obras, que foram divididas em três lotes.

O grupo estatal chinês Sinohydro Corp. recebeu o maior lote, no valor de 18 milhões de euros (US$10,8 milhões), para recuperar 21 barragens.

Um consórcio da empresa estatal chinesa China Tiesiju Civil Engineering Group e do grupo brasileiro Matra – Engenharia e Construção conquistou um lote de seis barragens, no valor de 8 milhões de euros.

Os contratos serão celebrados pelo Ministério angolano da Energia e Águas.