Notícias

China e Angola assinam acordo de combate à febre amarela

China e Angola assinaram esta semana uma série de documentos relativos ao apoio financeiro – avaliado em US$500.000 – que Pequim se comprometeu a dar ao país africano para auxiliar no combate à febre amarela, de acordo com a agência angolana de notícias Angop.

A assinatura decorreu na terça-feira na capital angolana, Luanda.

Nos documentos, ficou registado o compromisso do Governo chinês em continuar a acompanhar a evolução do surto de febre amarela em Angola e de reforçar o apoio prestado, caso tal venha a ser necessário, segundo a Angop.

Além do apoio financeiro, a China vai em breve enviar uma equipa médica para Angola, para prestar cuidados clínicos gratuitos. Pequim vai também doar ao país africano equipamento e material hospitalar no valor de 5 milhões de yuan (US$766.860).

A Embaixada da China em Angola já tinha anunciado que a China iria disponibilizar um apoio financeiro no valor de US$500.000 para ajudar Angola a comprar vacinas contra a febre amarela.

Este mês, a agência portuguesa de notícias Lusa revelou que, desde o início do surto, em Dezembro, as autoridades angolanas confirmaram já mais de 100 casos de infecção e mais de 38 mortes relacionadas com a doença.

A febre amarela é transmitida aos humanos através da picada de um mosquito, podendo provocar febre e icterícia. Nalguns casos, a doença pode ser fatal.