Notícias

China atribui bolsas a 12 estudantes moçambicanos

Um grupo de 12 estudantes de bacharelato ou licenciatura da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), na capital moçambicana, Maputo, recebeu na sexta-feira bolsas de estudos atribuídas pela Embaixada da China.

De acordo com a Xinhua, o Presidente da UEM, Orlando Quilambo, lembrou que o programa anual de bolsas foi criado em 2018 como incentivo aos alunos de cultura e língua chinesas da delegação local do Instituto Confúcio.

Segundo a agência noticiosa estatal chinesa, o responsável sublinhou, numa mensagem lida durante a cerimónia de atribuição das bolsas, que a UEM assistiu este ano à graduação dos primeiros alunos deste curso do Instituto Confúcio. A cerimónia decorreu no recém-construído auditório do Instituto Confúcio.

A China tornou-se um dos principais parceiros comerciais e de investimento de Moçambique, disse o Embaixador chinês em Maputo, Wang Hejun, que prevê um aumento da procura por quadros bilingues em chinês e português.