gallery wordpress plugin

No dia 13 de Maio de manhã, foi realizada na Universidade de Ciência e Tecnologia de Macau (MUST, na sigla inglesa) uma cerimónia de lançamento do Relatório de Evolução da Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (2018 – 2019), relatório elaborado pelo Instituto de Comércio Internacional e Cooperação Económica do Ministério do Comércio da China e pelo Instituto de Estudos Sociais e Culturais da MUST, com o apoio do Secretariado Permanente do Fórum de Macau e com a colaboração da Social Sciences Academic Press (China) como editora. A cerimónia contou com a presença de mais de 30 convidados e especialistas, incluindo os Secretários-Gerais Adjuntos do Secretariado Permanente do Fórum de Macau, Dr. Ding Tian e Dr. Casimiro de Jesus Pinto, a Chefe da Divisão da Delegação Comercial do Departamento para os Assuntos Económicos do Gabinete de Ligação do Governo Central na RAEM, Dra. Yao Yao, o Subdirector da Direcção dos Serviços do Ensino Superior, Dr. Chang Kun Hong, o Vice-Reitor da MUST, Dr. Pang Chuan, como também os delegados dos Países de Língua Portuguesa juntos do Secretariado do Fórum de Macau.

O Secretário-Geral Adjunto, Dr. Ding Tian, apontou que desde a criação em 2003, contando com os esforços conjuntos de todos os países participantes e do apoio do Governo da RAEM, o Fórum de Macau veio a aproveitar a língua portuguesa como um elo de ligação para integrar os 9 países de 10 partes, nomeadamente o Interior da China, Macau e os 8 Países de Língua Portuguesa, com uma população total de cerca de 1,7 mil milhões de pessoas, para realizarem cooperações de benefício mútuo, intercâmbios amistosos e criarem incessantemente novas oportunidades de desenvolvimento. A cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa de todos os sectores veio a tornar-se cada vez mais estreita e consolidada, tendo demostrado o papel de Macau como Plataforma entre os dois lados e desempenhando um papel exemplar da cooperação inter-regional para o mundo. Acrescentou que, actualmente, o surto epidémico mundial causado pelo novo tipo de coronavírus volta a aumentar incertezas na recuperação e no desenvolvimento da economia mundial. Os países participantes do Fórum não se salvam sozinhos. Como tal, fez desejo de que os especialistas pudessem apresentar activamente mais opiniões e sugestões construtivas, para responder à questão de como estimular e promover o intercâmbio e a cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa nos períodos epidémico e pós-epidémico, um dos temas de investigação de maior peso sobre o desenvolvimento da cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa no próximo futuro.

O Vice-Reitor, Dr. Pang Chuan referiu que, nos últimos anos, para além da cooperação nos sectores tradicionais, entre os quais o comércio de importação e exportação, investimento, construção de infraestrutura, energia, recursos humanos, etc., a China e os Países de Língua Portuguesa têm explorado, de forma activa, as novas áreas de cooperação, tais como voos aeroespaciais tripulados, exploração em alto mar e outros serviços de alta tecnologia e comércio de serviço moderno, conseguindo resultados frutíferos. Nesta nova era, Macau deve reforçar o posicionamento e enriquecer o conteúdo da “Plataforma entre a China e os Países de Língua Portuguesa”, bem como promover contactos pragmáticos entre os Países de Língua Portuguesa e a Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau. Deve aproveitar ao máximo as vantagens de zona aduaneira autónoma e rede de contacto externo, como também as oportunidades históricas no desenvolvimento conjunto de Hengqin, combinar as vantagens de espaço e recursos, fortalecer a função de abertura para o exterior e criar canais de intercâmbio e cooperação entre o interior da China, os países e regiões ao longo de “Uma Faixa e Uma Rota”, os países e regiões de língua portuguesa e latinos, no sentido de ajudar a China a realizar a abertura plena.

O Livro Azul da Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, liderado pelo Dr. Gu Xueming e Dr. Lin Guangzhi, fez análise e avaliação sob o contexto de novos avanços da implementação de “um país, dois sistemas” em Macau e da construção da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau, discutindo a situação geral, características, problemas e tendências para a cooperação económica e comercial entre a China e os oito Países de Língua Portuguesa, bem como o andamento mais recente da construção de Macau enquanto Plataforma entre a China e os Países de Língua Portuguesa, apresentando opiniões e sugestões construtivas. O relatório inclui artigos de mais de trinta académicos vindos do Interior da China, de Macau e de Portugal, sendo publicado pela primeira vez em chinês e português.