Notícias

Banco Mundial revê em baixa crescimento na China

O Banco Mundial reviu em baixa a sua previsão de crescimento económico para a China durante os próximos três anos, sublinhando, no entanto, não esperar qualquer abrandamento abrupto na segunda maior economia mundial.

No mais recente relatório “East Asia and Pacific Economic Update”, publicado na segunda-feira, o organismo sedeado em Washington previu que o produto interno bruto (PIB) chinês deverá crescer 6,9 por cento em 2015, abaixo da projecção de crescimento de 7,1 por cento avançada pela instituição em Abril.

De acordo com o documento, a economia chinesa deverá registar uma expansão de 6,7 por cento em 2016 e de 6,5 por cento em 2017. As estimativas anteriores apontavam para um crescimento de 7 por cento e 6,9 por cento, respectivamente.

“As previsões básicas de crescimento para a China pressupõem um abrandamento económico gradual em 2016 e 2017 […], mas um crescimento mais sustentável dependerá de reformas contínuas”, referiu o Banco Mundial, acrescentando que “a China dispõe de políticas de protecção suficientes para lidar com […] riscos e prevenir um abrandamento acentuado” da economia.

Entre Janeiro e Junho deste ano, a economia chinesa registou uma expansão de 7 por cento. Alguns analistas defendem que dados económicos divulgados recentemente indiciam que o crescimento do país está a abrandar, não devendo alcançar a meta anual de 7 por cento traçada pelo Governo Central para 2015.

O Banco Mundial previu ainda que o produto interno bruto de Timor-Leste – excluindo as receitas ligadas ao sector petrolífero – deverá crescer 6,8 por cento este ano, 6,9 por cento em 2016 e 7 por cento em 2017.