Notícias do Fórum de Macau

Realização do Seminário sobre a Cooperação da Capacidade Produtiva e Financeira entre a China e os Países de Língua Portuguesa em Macau

Realizou-se, na parte da tarde do dia 2 de Junho, o “Seminário sobre a Cooperação da Capacidade Produtiva e Financeira entre a China e os Países de Língua Portuguesa” no Centro de Convenções e Exposições do Venetian Macao-Resort-Hotel. O evento foi organizado pelo Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau), com o apoio do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau e da Autoridade Monetária de Macau como entidades co-organizadoras. O evento contou também com o apoio da Associação dos Construtores Civis da China.

O Seminário contou com a presença do Secretário para a Economia e Finanças, Dr. Leong Vai Tac; do Ministro de Estado, da Energia e Indústria da Guiné-Bissau, Dr. Florentino Mendes Pereira; do Ministro das Infra-estruturas, Recursos Naturais e Ambiente de São Tomé e Príncipe, Dr. Carlos Vila Nova; do Secretário de Estado da Internacionalização de Portugal, Dr. Jorge Costa Oliveira; da Secretária de Estado do Tesouro da Guiné-Bissau, Dra. Felicidade Soares Correia de Brito Abelha; dos representantes de diferentes autoridades da China e dos Países de Língua Portuguesa; dos representantes do Gabinete de Ligação do Governo Central na RAEM; e de representantes da Associação dos Construtores Civis da China. Estiveram também presentes os participantes de dois colóquios organizados pelo Secretariado Permanente do Fórum de Macau.

No total, o Seminário contou com a participação de mais de 200 pessoas. Durante o Seminário, a Secretária-Geral do Fórum de Macau, Dra. Xu Yingzhen, e o Secretário para a Economia e Finanças da RAEM, Dr. Leong Vai Tac, proferiram discursos.

A realização do Seminário sobre a Cooperação da Capacidade Produtiva e Financeira entre a China e os Países de Língua Portuguesa, por ocasião do 8.º Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infra-estruturas, revelou-se muito pertinente tendo em consideração os resultados obtidos no  Fórum de Cooperação Internacional “Uma Faixa, Uma Rota”, bem como em articulação com as 18 novas medidas da promoção de cooperação económica e comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa anunciadas pelo Governo Central no ano passado e com os trabalhos de acompanhamento do Memorando de Entendimento sobre a Promoção da Cooperação da Capacidade Produtiva assinado na 5.ª Conferência Ministerial do Fórum de Macau.

Durante o Seminário, foram trocadas impressões entre os representantes dos vários países sobre as respectivas políticas, planeamento estratégico, estratégias de investimento, pontos de interesse, recursos disponíveis, áreas prioritárias na vertente de cooperação financeira e da capacidade produtiva. Foram abordados temas como as reformas financeiras que têm por objectivo apoiar projectos no âmbito da cooperação da capacidade produtiva e contribuir para a iniciativa nacional “Uma Faixa, Uma Rota”, para o desenvolvimento do sector financeiro de Macau com características próprias, bem como os serviços financeiros e as necessidades dos diferentes países. Foram ainda apresentados os principais projectos de cada um dos Países Participantes no Fórum de Macau.

O Seminário – centrado no tema da cooperação financeira e da capacidade produtiva – traduziu-se num importante evento para os Países Participantes, após a 5.ª Conferência Ministerial do Fórum de Macau no ano transacto, procurando capturar as oportunidades históricas que surgem com a implementação da iniciativa “Uma Faixa, Uma Rota”, assim como das oportunidades oferecidas pela cooperação financeira e da capacidade produtiva, seguindo os princípios de “Observância de interesses dos governos e dos sectores privados dos países envolvidos, respeitando as regras do mercado, pragmatismo, avanço gradual e desenvolvimento de benefício mútuo”.

Neste sentido, todas partes são encorajadas a tirar partido do mecanismo multilateral do Fórum de Macau, desempenhando Macau o papel de Plataforma de Serviços Financeiros para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, integrando as funções e vantagens da Plataforma de Serviços para a Cooperação Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, promovendo o intercâmbio e cooperação pragmática mais estreita na área da capacidade produtiva e financeira entre o Interior da China, Macau e os Países de Língua Portuguesa.