Notícias

Parceria chinesa vai investigar potencial de variedades de soja no Brasil

A Universidade Agrícola do Sul da China (SCAU, na sigla inglesa) e a Sociedade de Alta Tecnologia Agrícola Yuan Longping, Lda vão montar uma base no Brasil para investigar o potencial de produção de novas variedades de soja. O acordo é oficialmente assinado a 18 de Maio.

Sherry Yuan Juhua, Directora-Adjunta do Gabinete de Relações Internacionais da SCAU, disse à Lusa que a base será instalada no quartel-general da subsidiária brasileira da Longping, no estado de São Paulo, no sul do Brasil.

A SCAU, sediada na cidade chinesa de Guangzhou, tem uma equipa de investigadores dedicados à produção de soja, que já testaram mais de 100 diferentes variedades no Brasil, com resultados muito positivos, disse a responsável.

Também a 18 de Maio, a subsidiária da Longping será a primeira empresa brasileira a juntar-se à Aliança Sino-Latino-Americana de Inovação, Investigação e Educação Agrícola, uma iniciativa da SCAU lançada em Dezembro de 2020, avançou a agência noticiosa portuguesa.

A Longping é controlada pelo CITIC Group Corp, um conglomerado estatal chinês que em 2017 adquiriu as operações no Brasil de produção de sementes de milho do grupo norte-americano DowDuPont Inc, por US$1,1 mil milhões.