Notícias

Nova zona de cooperação em Hengqin pode atrair cérebros do Brasil, diz empresário

A Zona de Cooperação Aprofundada entre Guangdong e Macau em Hengqin pode atrair “mentes brilhantes” de universidades brasileiras, de acordo com Henry Osvald, Presidente da BraCham – Associação Brasileira de Indústria, Comércio e Inovação na China .

Os estudantes brasileiros poderiam juntar-se a estudantes e empreendedores locais no desenvolvimento de novas tecnologias, nomeadamente no campus da Universidade de Macau em Hengqin, disse o empresário à NewsGD.

Henry Osvald afirmou acreditar que há “enorme potencial” num maior envolvimento de Macau em Hengqin, dada a experiência que a cidade tem nas ligações com os Países de Língua Portuguesa e a América Latina, avançou o portal noticioso chinês.

Há pelo menos 38 empresas brasileiras na província de Guangdong, no sul da China, a operar em sectores como alimentação, vestuário, material de construção, electrodomésticos, tecnologia digital e automação, acrescentou o responsável.