Outras Informações

IPIM organizou sessão de apresentação para ajudar as empresas a desenvolver a actividade comercial de importação e exportação direcionada aos mercados dos Países de Língua Portuguesa

Com vista a destacar a função de Macau enquanto plataforma de serviços para a cooperação comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa e ajudar as empresas do Interior da China e de Macau a obter uma melhor compreensão sobre os mercados dos países lusófonos, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM), em colaboração com o Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) organizou hoje (dia 24), no Centro de Apoio Empresarial de Macau, adstrito ao IPIM, a “Sessão de Apresentação sobre Série de Oportunidades de Negócio dos Países de Língua Portuguesa e Partilha de Experiência sobre o Comércio de Importação e Exportação”. Pretende-se com essa iniciativa, proporcionar oportunidade para as empresas do Interior da China e de Macau inteirar-se melhor sobre o comércio de importação e exportação nos Países de Língua Portuguesa, através da partilha de experiência por parte de diversos empresários vocacionados para o comércio com os referidos países, e intercâmbio entre os oradores e participantes, com vista a aproveitar as oportunidades que irão surgir. O evento atraiu a participação de 70 pessoas, incluindo representantes de organizações relacionadas com os sectores de comércio e logística.

No seu discurso proferido no decorrer da referida sessão, a Vogal Executiva do IPIM, Dra. Glória Batalha Ung, referiu que Macau, valendo-se das suas próprias vantagens e singularidades, e em articulação com o apoio do Estado Chinês, encontra-se presentemente a envidar esforços no sentido de construir a plataforma de serviços para a cooperação comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa, de modo a permitir que as Pequenas e Médias Empresas e os jovens empreendedores de Macau fiquem melhor informados. Salientou que o IPIM organiza todos os anos delegações empresariais de Macau e do Interior da Chna para visitas de intercâmbio e de estudo aos Países de Língua Portuguesa, com vista a ajudar os empresários a inteirar-se in loco do ambiente de investimento e da forma de exploração de negócios naqueles países, para exploração de oportunidades de negócio, incluindo, nomeadamente, a deslocação, em meados de Junho do corrente ano, a Cabo Verde, para o “Encontro de Empresários para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa 2017”. Aproveitou a oportunidade para convidar as empresas de Macau a participarem activamente nessa actividade.

Por sua vez, fazendo uso da palavra, o Secretário-Geral Adjunto (indicado pela República Popular da China) do Secretariado Permanente do Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau), Dr. Ding Tian, notou que a China, enquanto a segunda maior economia do mundo, encontra-se presentemente a impulsionar reformas estruturais com vista a concretizar a transformação económica, avançando, entretanto, com o reforço da cooperação com os Países de Língua Portuguesa. Referiu que, no ano passado, as trocas comerciais entre a China e os Países de Língua Portuguesa totalizaram aproximadamente cem mil milhões de dólares americanos, continuando a China a ser um dos mais importantes parceiros comerciais dos referidos países, assim como o principal mercado de exportação dos países lusófonos, com crescimento acelerado. Salientou que, até à presente data, o saldo do investimento das empresas chinesas nos países lusófonos é de cerca de cinquenta mil milhões de dólares americanos e que o valor das empreitadas nesses países excede a 90 mil milhões de dólares americanos. No domínio da cooperação entre a China e os Países de Língua Portuguesa, Macau, graças às suas vantagens singulares, tornou-se uma ponte indispensável entre as partes, pelo que ele espera que os presentes nesta sessão possam reforçar o intercâmbio, explorando em conjunto as perspectivas de cooperação entre a China e os países lusófonos, aproveitando, por assim dizer, as oportunidades de negócio a surgir.

Para a referida sessão de apresentação, foram convidadas como oradores, empresas que chegaram a investir e fazer negócios com Angola, Brasil, Portugal e Timor-Leste, para partilha de experiência. As actividades comerciais que os referidos oradores exercem incluem comércio de cristal, baterias, agricultura e tecnologia de comunicação. O evento incluía também uma sessão de perguntas e respostas, para proporcionar aos presentes um conhecimento mais profundo sobre a cooperação económica e comercial com os Países de Língua Portuguesa, ajudando-os a encontrar oportunidades de cooperação, tudo isto no sentido de promover a cooperação comercial e o desenvolvimento entre as partes.