Notícias

Importações brasileiras da China escapam a impacto negativo da COVID-19

As importações brasileiras provenientes da China não foram, até ao momento, significativamente afectadas pela pandemia da COVID-19, noticiou na semana passada o Valor Econômico.

De acordo com o jornal financeiro brasileiro, dados oficiais mostram que o volume das Importações da China por parte do Brasil registou uma ligeira quebra de 0,9 por cento em termos anuais nos primeiros 11 meses de 2020. Tal contrasta com uma queda de 7,8 por cento no volume das importações totais do Brasil no período em causa.

Segundo a mesma notícia, a China é responsável por 22 por cento das importações totais do Brasil, à frente da União Europeia (17 por cento) e dos Estados Unidos (16 por cento).

Segundo uma analista do “think tank” brasileiro Fundação Getúlio Vargas, o facto de a China ter sido capaz de rapidamente controlar a pandemia da COVID-19 a nível doméstico teve como resultado um menor impacto negativo da crise sanitária na estrutura logística chinesa e, consequentemente, nas exportações do país.