Notícias

Empresas chinesas interessadas no Corredor do Lobito

Empresas da China, Japão, Alemanha, Inglaterra, Portugal, África do Sul e República Democrática do Congo já manifestaram interesse na concessão do Corredor do Lobito, o transporte de grandes cargas do Caminho de Ferro de Benguela.

A revelação foi feita pelo Secretário de Estado para os Transportes Terrestres de Angola, Jorge Benge, num seminário online, realizado na quinta-feira, para apresentar o potencial económico do Corredor, nomeadamente no transporte de cobre e cobalto da República Democrática do Congo e da Zâmbia para portos angolanos.

A linha de caminhos-de-ferro de Benguela foi oficialmente entregue às autoridades angolanas em Outubro de 2019, após uma reconstrução, um investimento de US$1,83 mil milhões, liderada pelo grupo estatal China Railway 20 Bureau Group Corp.

A linha – com 1.344 quilómetros – vai desde o porto de Lobito, no oeste de Angola, até à fronteira congolesa em Luao, passando por cidades como Benguela, Kuito e Luena.