Notícias

China providencia 2.600 toneladas de apoio alimentar à Guiné-Bissau

A China vai oferecer 2.600 toneladas de apoio alimentar de emergência à Guiné-Bissau, visando ajudar o país a combater uma crise alimentar interna causada pelos impactos negativos da pandemia da COVID-19, revelou o Embaixador da República Popular da China na nação africana, Guo Ce.

O anúncio foi feito num artigo de opinião publicado na quarta-feira no jornal China Daily, focado nas perspectivas para a cooperação entre os dois países em 2021.

Segundo o diplomata chinês, a China está disponível para trabalhar com a Guiné-Bissau de forma a expandir a cooperação bilateral. O lado chinês está aberto a projectos que sejam benéficos para o desenvolvimento social e económico do país africano, ou que possam aprofundar as relações bilaterais entre as duas nações, escreveu o Embaixador.

Guo Ce recordou o caso de uma unidade hospitalar de Sichuan, na China, que estabeleceu um mecanismo de cooperação com um hospital da Guiné-Bissau, visando melhorar as condições de saúde no país africano e elevar os conhecimentos médicos dos respectivos profissionais.

Por outro lado, o diplomata acrescentou que os dois países estão a trabalhar em conjunto no que toca ao segmento da Guiné-Bissau de uma autoestrada costeira transcontinental que visa ligar diversas nações da África Ocidental. Segundo referiu Guo Ce, uma cerimónia de lançamento da construção do segmento da Guiné-Bissau deve decorrer no próximo mês.