Notícias

Brasil suspende taxas anti-dumping sobre seringas chinesas

O Comité-Executivo da Câmara de Comércio Exterior (Camex) do Brasil suspendeu a aplicação de taxas anti-dumping a seringas descartáveis produzidas na China, para facilitar o combate à pandemia da COVID-19.

Segundo uma resolução publicada no Diário Oficial da União, na quinta-feira, estão suspensas, pelo menos até 30 de Junho, as tarifas aplicadas a seringas descartáveis de plástico vindas da China, “por razões de interesse público”.

Desde 2015 que os importadores tinham de pagar uma taxa de US$4,55 (3,7 euros) por cada quilo de seringas adquiridas na China.

A Camex reduziu suspender, também até 30 de Junho, o imposto de importação aplicado a seringas e agulhas vindas do estrangeiro.

Já em Março de 2020, o Governo brasileiro tinha suspendido a aplicação de taxas anti-dumping a alguns produtos médico-hospitalares produzidos na China e utilizados no combate à pandemia, incluindo tubos de plástico para recolha de sangue a vácuo.