Notícias

Barragem chinesa pode ajudar a levar electricidade a todos os guineenses

O Primeiro-Ministro da Guiné-Bissau, Nuno Gomes Nabiam, disse ter planos para começar a fornecer corrente eléctrica a toda a população até ao final de 2022, avançou a Agência de Notícias da Guiné (ANG).

Segundo a agência noticiosa estatal guineense, o governante falava numa visita a três subestações do projecto Organização para Valorização da Bacia do Rio Gâmbia (OMVG, na sigla em francês).

O Primeiro-Ministro disse na semana passada que a ligação eléctrica à Guiné-Bissau é uma obra orçada em US$200 milhões, “o maior investimento desde a independência”.

A electricidade vai ser gerada no projecto hidroeléctrico de Kaleta, na vizinha Guiné-Conacri, e transmitida para a Guiné-Bissau através de uma linha com 218 quilómetros e distribuída através de quatro subestações, incluindo na capital, Bissau.

O projecto de Kaleta foi construído pela China International Water & Electric Corp, uma subsidiária da empresa estatal chinesa China Three Gorges Corp.