A nova zona de comércio livre planeada para a Província de Guangdong, na China Continental, vai desempenhar um papel chave no aprofundamento dos laços entre Macau, Hong Kong e o Continente, de acordo com a agência de notícias oficial Xinhua.

“O posicionamento da zona de comércio livre de Guangdong terá como objectivo aprofundar a cooperação com Hong Kong e Macau,” disseram à agência noticiosa representantes das autoridades de Guangdong.

No seguimento dos Acordos de Estreitamento das Relações Económicas e Comerciais que a China Continental estabeleceu com Macau e Hong Kong, respectivamente, em 2003 – os quais têm vindo a ser alargados –, esta nova zona de comércio livre irá “eliminar quaisquer barreiras ainda existentes”, noticiou a Xinhua.

O Conselho de Estado chinês deu recentemente autorização a Guangdong para o estabelecimento de uma zona de comércio livre. Esta surge no seguimento da primeira zona de comércio livre no Continente, estabelecida em Setembro de 2013 em Xangai.

As novas zonas de comércio livre são encaradas como balões de ensaio para a implementação de reformas económicas por parte das autoridades chinesas, de forma a atrair mais investimento estrangeiro e promover a internacionalização do Renminbi.

A zona de Guangdong vai cobrir uma área de 116 quilómetros quadrados, incluindo as zonas de Nansha, Qianhai, Shekou e a Ilha de Hengqin – também conhecida como Ilha da Montanha e localizada junto a Macau.

 

Share This