O Politburo, o principal órgão decisório da China, comprometeu-se na quinta-feira a lançar políticas mais concretas para a manutenção da estabilidade do crescimento económico do país, numa altura em que crescem as pressões negativas sobre a economia chinesa. A notícia foi avançada pela agência oficial chinesa de notícias Xinhua.

Num comunicado – emitido após uma reunião liderada pelo Presidente chinês, Xi Jinping –, o Politburo afirmou que “a pressão negativa sobre a economia é relativamente grande” e que “algumas empresas enfrentam dificuldades de funcionamento”, numa altura em que “o dinamismo de novas áreas de crescimento económico é insuficiente”.

O Politburo adiantou que, face à pressão negativa sobre a economia, a China “irá manter uma política fiscal proactiva, continuando a alargar o investimento público, reduzindo os encargos financeiros das empresas e encorajando o investimento privado, ao mesmo tempo que irá manter uma política monetária flexível e prudente”.

Ainda de acordo com o comunicado citado pela Xinhua, o Governo Central irá lançar “medidas eficazes” para contribuir para o crescimento estável do consumo, investimento e exportações, que constituem, segundo o Politburo, os principais motores do crescimento económico. Pequim, acrescentou o mesmo órgão, irá “acelerar [a implementação de] políticas concretas”, visando contrariar os efeitos negativos sentidos na economia.

O produto interno bruto (PIB) da China cresceu 7 por cento no segundo trimestre do ano, superando as expectativas de alguns analistas. No entanto, o PIB deverá registar, mesmo assim, o maior abrandamento em termos de crescimento desde 1990.

 

Share This